O jeitinho belga: como algumas coisas funcionam por aqui

Andei sumida daqui por um tempo, mas estou de volta! Durante esse tempo de sumiço estive procurando ativamente coisas para contar para vocês, mas nem sempre é fácil – ou a inspiração me visita. Parece que hoje Marte estava de bobeira na lua de escorpião e finalmente vou compartilhar com vocês alguns fatos que são bem diferentes do que estamos acostumados no Brasil! Tenham em mente que minhas impressões são algo muito pessoal e que se limitam à minha cidade e à minha vida despovoada de belgas – que poderiam ser uma fonte de posts inesgotável.

Sacolas de lixo

Duas coisas que eram quase certas na vida: você vai voltar do mercado cheio de sacolas de plástico e que essas sacolas serão usadas nas suas lixeiras. Aí inventaram a palavra sustentável e é super tendência ter a sua sacola eco-friendly pra ir ao mercado. Acho lindo – menos quando eu esquecia a minha sacola. Aqui, além de ter que levar meu recém-adquirido carrinho-de-vó-de-fazer-compras-na-feira, tenho que comprar as sacolas de lixo. Regras da prefeitura. E não é nada barato! Pagamos 22,50 euros por 10 sacolas grandes. Isso um negócio muito visionário, porque cada tipo de lixo precisa de uma sacola de cor diferente. E claro que há variações de tamanhos: sacola grande, pequena, média. Ótimo pra arrecadar imposto além do imposto, uh! A ideia também é super sustentável: quem produz mais lixo, tem que pagar mais. Ou faz contrabando de lixo pra Holanda sempre que possível, onde isso não existe – nosso caso.

Registro na prefeitura e a visita da polícia

Quando além se muda aqui na Bélgica, mesmo se for um belga mudando de cidade, é necessário se registrar na prefeitura. Isso quer dizer, basicamente, que você tem que ir lá levar seus documentos e dizer “Oi, tô morando aqui agora!”. Você já precisa ter um teto, fornecer o endereço, e um policial vai bater na sua porta qualquer dia. Eles querem saber se você mora mesmo onde você diz que mora. Essa visita pode levar até 4 semanas, e você nunca sabe quando eles irão aparecer. O que podemos tirar dessa história? Enquanto policiais rezam para não morrer todos os dias quando saem para trabalhar no Brasil, aqui eles pegam suas bikes e saem para checar a decoração da casa da galera! Tão europeia essa coisa de ter uma taxa de criminalidade insignificante!

Night bus

No final de semana meus sogros vieram nos visitar e no sábado à noite fomos tomar uma cervejinha no centro. Como não tínhamos bikes suficientes, e o povo europeu não bebe e dirige nunca (o que eu acho louvável), fomos de ônibus. Saímos umas 9:30 e voltamos um pouco depois da meia noite. Quando fomos pagar a passagem, o motorista (é, cobrador não existe) disse que era grátis. Ahnnnn?! Foi aí que descobrimos que o ônibus nas sextas e sábados das 10 da noite até 2 da manhã é 0800!!! Acredito que seja um incentivo à economia local (mais dinheiro para cerveja!) e pra compensar a história das sacolas. Gente esperta!

Cartões de crédito

Isso vai muito contra toda a modernidade do “primeiro mundo”, mas não parece ser qualquer lugar que aceita cartões de crédito por aqui. Gente, até no Brasil todo mundo tem uns três cartões e pode usá-los até para comprar bikini na praia! Aqui a coisa ganha uma dimensão ainda mais bizarra, porque Leuven é uma cidade cheia de estudantes internacionais. Cheia significa que a população da cidade triplica durante o ano letivo. Leuven é a cidade universitária do país. E como que essa gente só aceita cartão de débito de banco belga?! Vou ilustrar. Quando fui pagar meu curso de holandês (obviamente não sou daqui), não aceitaram cartão de débito da Holanda. Na livraria que eu e o Sten tivemos que comprar nossos livros do curso/universidade, mesma coisa. Retrocesso!

Mensalidade nas universidades

Ah, sobre as universidades! A mensalidade aqui é paga por ano, e não por mês. O curso de graduação custa quase 900 euros por ano. Ah, e se você estudar Direito? A mesma coisa. Biologia? Igual. Todos os cursos custam o mesmo valor – sem exceção! O que é uma coisa muito confusa se pensarmos sobre a organização da sociedade. Aquela velha equação que diz que pagar 4000 reais por mês automaticamente te faz (se sentir) melhor que todo mundo não funciona mais! O que é uma vergonha. Completa. Vou descobrir se existe pelo menos uma área VIP na cafeteria que você possa pagar para não ser igual todo o resto. Deve existir né!

E aí, o que vocês acharam mais interessante? Esquisito?

O que vocês acham que daria certo/jamais funcionaria no Brasil?!